• Dr. Ricardo

Testosterona em dose supra-fisiológica induz hipertrofia cardíaca


Testosterona e outros esteróides anabolizantes têm sido utilizados indevidamente para o aprimoramento do desempenho físico, apesar de muitos relatos de morte súbita cardíaca. Enquanto o nível fisiológico de testosterona fornece muitos benefícios para a saúde humana, incluindo a função cardiovascular, níveis suprafisiológicos do hormônio induzem a hipertrofia do coração segundo um estudo publicado no Journal of Endocrinology.

Foram avaliados os efeitos dependentes do tempo de tratamento com altas doses de testosterona sobre a estrutura e função cardíaca. Ratos adultos machos foram divididos em 4 grupos de tratamento com testosterona em 0, 5, 10, e 20 mg / kg de peso corporal durante 4, 8 ou 12 semanas. O aumento de cardiomiócitos em corte transversal, que representa hipertrofia do coração, foi significativamente observado em todos os grupos tratados com testosterona para o mesmo grau. Em ratos tratados por 4 semanas, hipertrofia cardíaca fisiológica foi aparente, sem qualquer mudança na ativação contrátil dos miofilamentos. Em contraste, a hipertrofia cardíaca patológica foi observada nos grupos tratados com testosterona por 8 e 12 semanas, como indicado pela supressão da ativação dos miofilamentos e deposição de colagéno do miocárdio.

Os resultados deste estudo sugerem que o resultado da hipertrofia cardíaca induzida pela testosterona não é dose dependente, mas derivado da duração da exposição aos esteróides anabólicos.


377 visualizações