• Dr. Ricardo Bizeli

Diabetes tipo 5??


O diabetes do adulto apresenta cinco tipos, ao invés da tradicional divisão em tipos 1 e 2, relatam pesquisadores da Escandinávia, em artigo publicado no The Lancet Endocrinology & Diabetes, no primeiro dia de março.

Avaliando uma população de 15.000 pacientes da Suécia e Finlândia, foi possível dividi-los em três formas graves e duas leves do diabetes, uma delas correspondendo ao diabetes tipo 1 e as outras em subtipos do diabetes tipo 2.

Atualmente o diabetes é classificado em tipos 1 e 2, além de várias outras condições menos comuns como nos casos de diabetes monogênico (LADA/MODY) e secundários (pancreatectomizados e gestacionais, por exemplo).

"Estabelecer uma classificação mais refinada do diabetes poderia individualizar melhor o tratamento e permitir a identificação dos pacientes com maior risco de complicações logo ao diagnóstico", diz o pesquisador Leif Groop, da Lund University Diabetes Center, Malmö, Suécia e da Folkhalsan Research Centre, Helsinki, Finlândia.

As seis váriaveis utilizadas na definição dos cinco tipos de diabetes foram:

1. Presença de anticorpos anti-GAD;

2. Idade ao diagnóstico;

3. IMC;

4. Nível de hemoglobina glicada (HbA1C);

5. Índice HOMA2-beta, que estima a função das células-beta e

6. Índice de resistência à insulina, através do cálculo do HOMA2-IR

Foram obtidos os seguintes "tipos" de diabetes, denominados no artigo como "clusters":

Cluster 1: Diabetes autoimune grave, caracterizado por: início em pacientes mais jovens, IMC relativamente baixo, mal controle metabólico, produção de insulina diminuída e anti-GAD positivo. Corresponde essencialmente ao diabetes tipo 1 e ao LADA.

Cluster 2: Diabetes insulino-deficiente grave, similar ao cluster 1, mas com anti-GAD negativo, e mais alta incidência de retinopatia.

Cluster 3: Diabetes insulino-resistente grave, com resistência à insulina, IMC elevado e alta incidência de nefropatia.

Cluster 4: Diabetes leve relacionado à obesidade, em pacientes obesos jovens, sem resistência à insulina.

Cluster 5: Diabetes leve relacionado à idade, com alterações modestas, associado à idade mais avançada.

Observou-se que os clusters 1 e 2 apresentaram HbA1C significativamente maior, e também tiveram a maior probabilidade de cetoacidose (31% e 25%) enquanto nos outros clusters essa chance foi menor do que 5%.

Insulina foi prescrita para 42% dos casos do cluster 1 e 29% dos portadores do cluster 2, enquanto esta foi necessária em menos de 4% dos pacientes associados aos outros clusters.

O uso de metformina foi maior no cluster 2, enquanto as menores utilizações se deram nos cluster 1 e 3. A maior chance de desenvolvimento de doença crônica como nefropatia diabética se deu nos pacientes do cluster 3, e de retinopatia nos casos do cluster 2.

Por fim, os pesquisadores anunciaram o desenvolvimento de uma ferramenta online para estratificação dos pacientes nesses cinco clusters.

#Diabetes

107 visualizações