• Dr. Ricardo

O que importa mesmo é o quanto comemos!


Mais uma evidência de que o que importa é comer menos! Em um pequeno estudo publicado em 30/07/16 no American Journal of Clinical Nutrition, os autores compararam os efeitos de uma dieta muito pobre em carboidratos, rica em gordura insaturada, pobre em gordura saturada (PC) com uma dieta com alto teor de carboidratos e baixo teor de gordura (RC) no controle glicêmico e nos fatores de risco para doença cardiovascular Em diabéticos do tipo 2 após 52 semanas.

Ambas as dietas alcançaram perda de peso substancial e redução de HbA1c e glicemia de jejum. A dieta rica em gordura insaturada e baixa em gorduras saturadas, gerou grande melhoria no perfil lipídico, estabilidade glicêmica, e redução na necessidade de antidiabéticos orais, sugerindo uma estratégia eficaz para a optimização da gestão de diabetes tipo 2.

Métodos

Neste estudo randomizado controlado que foi realizado em uma clínica de pesquisa ambulatorial, 115 adultos obesos com diabetes tipo 2 [média ± DP idade: 58 ± 7 anos; índice de massa corporal (Kg / m2): 34,6 ± 4,3; hemoglobina glicosilada (HbA1c): 7,3 ± 1,1%; duração do diabetes: 8 ± 6 anos] foram distribuídos aleatoriamente para consumir ou uma dieta hipocalórica pobre em carboidratos [14% de energia de carboidratos (<50 g / d), 28% de energia como proteína, e 58% de energia de gordura ( <10% de gordura saturada)] ou uma dieta rica em carboidratos pareados por valor calórico [53% de energia de hidratos de carbono, 17% de energia como proteína, e 30% de energia de gordura (<10% de gordura saturada)] combinada com atividade física supervisionada (60 min; 3 d / semana). Os resultados foram avaliados com o uso da HbA1c, glicemia de jejum, variabilidade glicêmica avaliada com a utilização de 48 h de monitorização contínua da glicose, medicação para diabetes, peso, pressão arterial e lípides avaliados no início do estudo, 24 e 52 semanas.

Resultados

Ambos os grupos alcançaram taxas de conclusão semelhantes (dieta PC: 71%; RC dieta: 65%) 95% CI, e redução de peso [PC dieta: -9.8 kg (-11.7, -7,9 kg); RC dieta: -10.1 kg (-12,0, -8,2 kg)], pressão arterial [PC dieta: -7.1 (-10,6, -3,7) / - 6,2 (-8,2, -4,1) mm Hg; dieta RC: -5,8 (-9,4, -2,2) / - 6,4 (-8,4, -4,3) mm Hg], HbA1c [PC dieta: -1,0% (-1,2, -0,7%); dieta RC: -1,0% (-1,3, -0,8%)], glicemia de jejum [PC dieta: -0,7 mmol / L (-1,3, -0,1 mmol / L); dieta RC: -1,5 mmol / L (-2,1, -0,8 mmol / L)], e o colesterol de LDL [PC dieta: -0,1 mmol / L (-0,3, 0,1 mmol / L); dieta RC: -0,2 mmol / L (-0.4, 0,03 mmol / L)]

Comparado com o grupo RC, o grupo PC alcançou maior redução nas medicações para diabetes, variabilidade da glicemia [PC : -0,5 mmol / L (-0,6, -0,3 mmol / L); dieta RC: -0,05 mmol / L (-0,2, -0,1 mmol / L); P = 0,003], e triglicerídeos [PC dieta: -0,4 mmol / L (-0,5, -0,2 mmol / L); dieta RC: -0,01 mmol / L (-0,2, 0,2 mmol / L); P = 0,001] e mais significativo (IC 95%) aumento no colesterol HDL [PC dieta: 0,1 mmol / L (0,1, 0,2 mmol / L); dieta RC: 0,06 mmol / L (-0,01, 0,1 mmol / L); P = 0,002].

#Dieta #Obesidade #Diabetes #Açúcar #Gordura

179 visualizações