• Dr. Ricardo Bizeli

Há benefício na dieta do jejum intermitente?


Essa é a pergunta do momento: "O que você acha da dieta do jejum intermitente?" Não há uma festa em que alguém não questione a minha opinião sobre esse método, que foi tema de um artigo publicado no início deste mês no Journal of the American Medical Association (JAMA).

Neste estudo, foram comparados três grupos, um com redução da ingestão calórica para 75% das necessidades energéticas diárias, representando a tradicional contagem de calorias, outro com dias alternados, sendo um dia com ingestão de 25% das necessidades, e outro com 125% dessa quantidade, e um terceiro grupo onde não foi realizada nenhuma intervenção.

Os resultados foram os seguintes:

1. Taxa de abandono foi maior no grupo do jejum intermitente (38%/29%)

2. Após seis meses, ambos os grupos apresentaram uma redução semelhante do peso (-6,8%)

3. Não se observou diferença significativa em pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia de jejum, triglicerídeos, insulina, índice de resistência insulínica, proteína-C reativa ou homocisteína.

4. Após 6 meses, o grupo em jejum intermitente apresentou aumento significativo dos níveis de HDL-c, porém não houve diferença após 12 meses

5. Após 12 meses, foi observado aumento significativo dos níveis de LDL-C no grupo em jejum intermitente.

A conclusão final foi de que o jejum intermitente apresentou maior taxa de desistência, com resultados similares à contagem de calorias, não se evidenciando qualquer efeito superior, exceto por um aumento de HDL-C após 6 meses de tratamento.

Considero muito importante que estudos como esse venham à tona, pois é um sinal de que finalmente a sociedade médica está começando a encarar a obesidade como uma verdadeira doença, e as dietas como seu tratamento clínico. A comparação entre as dietas é mais do que necessária, uma vez que nem todas as pessoas se adaptam às mesmas dietas.

Achei que alguns pontos também merecem ser discutidos:

1. Cada vez mais cai por terra a ideia de que a composição da dieta seja tão importante nas intervenções dietéticas, sendo que neste estudo nem foi utilizado um grupo onde houvesse modificação nos macronutrientes recomendados.

2. O jejum intermitente tem a grande qualidade de ser extremamente simples de explicar, o que é muito útil no caso das pessoas com menor capacidade de assimilação do método terapêutico.

3. A maior taxa de desistência reforça o conceito de que quando mais nos distanciamos do nosso cotidiano ao entrarmos em dieta, menos duradoura será a aderência ao tratamento.

Por fim, cito os protocolos mais utilizados nesse método dietético:

  • 1. Leangains (Martin Berkhan):

  • Jejum diário de 16h (Recomenda-se 14h para mulheres, que parecem se dar melhor com jejuns um pouco mais curtos)

  • Café, chás e outros líquidos não-calóricos estão liberados.

  • Boa parte dos praticantes começa o jejum após o jantar (por volta das 21h) e quebra o jejum na hora do almoço, por volta de 13h

  • 2. Eat Stop Eat (Brad Pilon):

  • Não comer nada por 24h, uma ou duas vezes por semana;

  • Pode-se começar o jejum pela manhã, no almoço ou no jantar. O importante é não comer por 24 horas.

  • 3. Jejum em Dias Alternados (Krista Varady)

  • Comer um dia sim e outro não. Os períodos de jejum podem atingir até 36 horas;

  • Alguns protocolos sugerem o limite de 500 calorias nos dias de "jejum

  • 4. Dieta do Guerreiro (Ori Hofmekler)

  • Comer pequenas quantidades de frutas (de preferência cítricas) e vegetais crus durante o dia e fazer uma grande refeição pela noite, rica especialmente em proteínas;

  • A janela diária de alimentação é de quatro horas. Ou seja 20:4.

  • 5. Coma quando a fome naturalmente chegar (Mark Sisson)

  • Não há necessidade de seguir um protocolo específico de jejum intermitente para colher alguns dos seus benefícios.

  • Uma opção simples é pular refeições ao longo do tempo, quando você não sentir fome, ou se estiver muito ocupado para preparar sua comida e se sentar para comer.

Agora, é escolher o método que você se adapte melhor para perder peso. Eu ainda prefiro a boa e velha contagem de calorias...

#Dieta #Obesidade #Peso #Macronutrientes

472 visualizações